segunda-feira, 11 de abril de 2011

Manifesto Ciborgue


Manifesto Ciborgue é um livro escrito por Donna  Haraway (1944) em 1985. Um texto de natureza dissertativa, é também uma declaração pública de princípios e intenções, digno de ser classificado como manifesto. Haraway provoca discussões sociológicas, sendo suas principais abordagens os questionamentos sobre ciência, tecnologia e o feminismo socialista no final do século XX. 

A ideia de Ciborgue proposta por Haraway dialoga com questões do corpo. Que corpo é esse que está Ciborgue? É possível a existência de um corpo cibernético? Ciborgue é utilizado como metáfora para reivindicar a continuidade dos corpos?. Um corpo é ciborgue, um ciborgue é corpo. Os estereótipos dos “corpos cibernéticos”, com o estilo “Exterminador do Futuro”, caíram por terra. Basta ser corpo, para ser ciborgue. Com as novas tecnologias, as fronteiras entre os animais e os seres humanos, entre o orgânico e o inorgânico, entre cultura e natureza entram em colapso.

“Um ciborgue é um organismo cibernético, um híbrido de máquina e organismo, uma criatura de realidade social e também uma criatura de ficção.”


HARAWAY, Donna. Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo socialista no final do século XX. In: SILVA, Tomaz  (org.).  Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica, p.36, 2000.

4 comentários:

adalene disse...

Oi, Isa. Tem um livro sensacional sobre o tema. Ele é bem pequeno e gostoso de ler. Chama-se "Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano", organizado por Tomaz Tadeu com textos de Haraway e Kunzru. Faz parte de uma coleção chamada "Coleção Mimo", da editora Autêntica.
Comprei o meu na Cultura (Salvador Shopping).

Isa Sara Rêgo disse...

Oi Dally, obrigada pela dica! Esse livro já estava mesmo dentro das minhas referências. Agora, vou correndo na "Cultura" comprar. Obrigada. Isa

Consta Cia321 disse...

Parabéns pelo blog estarei sempre aqui com vc.
Grande abraço
Luzia Amélia

Isa Sara Rêgo disse...

Luzia, que feliz fiquei ao ler seu recadinho. Boa será nossa saga de estudos. Beijo, obrigada. Isa